Sespa alerta para consumo de alimentos saudáveis na época mais quente do ano

Sespa alerta para consumo de alimentos saudáveis na época mais quente do ano

16 de julho de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Melancia é uma das frutas indicadas para a época por ter bastante líquido e hidratar o corpo

Neste mês de julho, época de veraneio, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) apresenta uma série de orientações para a população manter uma alimentação saudável na estação mais quente do ano. Segundo a nutricionista e coordenadora estadual de Nutrição, Walkiria Moraes, o período de estiagem (o verão paraense) é um período em que as temperaturas estão mais elevadas e, com o calor, o corpo tende a perder mais líquido e sais minerais, sendo essencial estar atento à hidratação e alimentação.

Segundo a nutricionista, que é muito importante adotar uma alimentação saudável, consumindo alimentos mais leves e de fácil digestão, in natura ou minimamente processados, evitando o consumo de alimentos mais gordurosos, como as frituras, e mais calóricos, que requerem mais esforço no processo de digestão. “O consumo de frutas frescas, por exemplo, ajuda não apenas no fornecimento de nutrientes importantes, como vitaminas, sais minerais e fibras, mas também contribui com a hidratação do corpo”, informou.

Walkiria Moraes, coordenadora estadual de Nutrição da Sespa

Walkiria Moraes lembrou que as frutas e verduras da estação, além do menor custo, têm maior teor nutricional. “Devemos aproveitar para consumir frutas como abacaxi, melancia, tangerina, laranja, acerola, carambola e kiwi”, sugeriu a nutricionista.

Ela também ressaltou que a hidratação é fundamental, uma vez que a água atua na manutenção da temperatura corporal e em diversos processos fisiológicos. “Sendo assim, o consumo de água deve ser de, no mínimo, dois litros por dia. Mas também podemos consumir bebidas, como água de coco, sucos naturais e chás gelados”, orientou.

Cuidados – Uma recomendação da técnica da Sespa para quem frequenta praia é evitar sushi, alimentos e sanduíches preparados com molhos à base de maionese, leite e requeijão, para evitar intoxicação alimentar, que pode até levar à morte. “Qualquer alimento pronto não deve permanecer em temperatura ambiente por mais de duas horas. Os principais vilões dessa época são as carnes, mariscos, leite e ovos, porque estragam rapidamente no calor”, acrescentou.

Além de água, sucos naturais também são indicados para manter a hidratação

O risco da má conservação pode levar ao aparecimento da bactéria Salmonella, transmitida pela ingestão de alimentos crus, mal cozidos e preparados em condições de higiene inadequadas. “Ela pode causar náuseas, vômitos, febre, cólicas intestinais e diarreia, podendo levar à internação hospitalar”, alertou Walkiria Moraes.

De acordo com Walkiria Moraes, as temperaturas mais altas ainda podem contribuir para a deterioração mais rápida dos alimentos. “Por isso, é importante que as medidas de higiene sejam observadas e os alimentos sejam bem higienizados e armazenados de forma adequada, considerando as características de cada um deles”, explicou.

Principais cuidados que as pessoas devem ter com o armazenamento de alimentos:

• Alimentos in natura devem ser lavados um a um, deixados em solução clorada por 15 minutos, enxaguados em água limpa, colocados para secar antes de armazenar em temperatura ambiente ou refrigeração.

• Carnes devem ser adquiridas e armazenadas em refrigeração. É importante estar atento às características, como cor, odor, textura e sabor.

• Alimentos não perecíveis, como cereais e leguminosas, devem ser higienizados e armazenados em local arejado.

Texto: Roberta Vilanova/Sespa
Fotos: José Pantoja/Sespa