Sespa prossegue alinhando ações e metas no segundo dia do Encontro de Gestores

Sespa prossegue alinhando ações e metas no segundo dia do Encontro de Gestores

28 de setembro de 2021 Off Por Mozart Lira

Realizado com as precauções contra a Covid-19 no auditório do Nível Central da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em Belém, o segundo dia do Encontro de Gestores, com o tema “Comunicação e Intersetorialidade”, prossegue debatendo as ações já realizadas e analisando os planejamentos para 2021 e as metas para os próximos 14 meses.

Na abertura das explanações desta terça-feira, 28, o secretário adjunto de Gestão de Políticas de Saúde, Sipriano Ferraz, falou sobre o cenário atual da Sistema Único de Saúde (SUS) no Pará e dos resultados até agora alcançados pelos programas implementados pela Secretaria.

“Com a melhora dos índices da Covid-19 no Estado, estamos prosseguindo com os projetos que iniciamos no ano passado e um deles é o de continuar disponibilizando portas abertas em ortopedia por todo o Pará. O de Caetés é o quinto a adotar esse fluxo de atendimento”, afirma Sipriano, ao citar as 5.725 cirurgias realizadas de janeiro a setembro deste ano, em hospitais de Marituba, Conceição do Araguaia, Abaetetuba e Capanema, que oferecem o serviço mediante articulação da Sespa.

Sipriano se referiu também ao Projeto Fila Zero, que tem trazido bons resultados com a criação dos programas “Obesidade Zero”, “Doenças ortopédicas da infância”, “Pré-operatório rápido” e “Triagem Pós-Covid”, que surgiram a partir da identificação dos principais gargalos no acesso da população a cirurgias e internações.

Implantados e oferecidos na Poli Metropolitana, em Belém, o Pré-operatório Rápido já contabilizou 11.151 consultas e 105.172 exames, enquanto que o Triagem Pós-Covid resultou em 19.397 consultas médicas, 3.638 consultas não médicas e 312.242 exames, até setembro deste ano.

“Nossa intenção é continuar dando atenção ao combate das sequelas da Covid-19 e tentar acabar com as filas que foram relacionadas às consultas, cirurgias e atendimento médico que ficaram reprimidas, devido à atenção que precisávamos dar à pandemia”, ressalta o secretário adjunto, ao detalhar o desempenho do programa “Obesidade Zero”, que já realizou 3.297 consultas, 164 cirurgias e 179 cirurgias programadas, e do programa “Doenças Ortopédicas na Infância”, com 4.268 consultas e 257 cirurgias.

Ele citou também os feitos do Núcleo de Atendimento Transtorno do Espectro Autista (Natea), que já realizou 11.919 atendimentos e 24.140 procedimentos, com médicos especialistas e equipe multiprofissional no Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), em Belém.

“São resultados que refletem o quanto o SUS é essencial, já que 90% da população do Pará é desprovida de plano privado de saúde”, destaca Sipriano, ao alertar os servidores que os desafios continuarão, seja para atender cirurgias eletivas e diagnósticos represados de câncer, como para lidar com as doenças cardiovasculares, agravadas por fatores que despontaram ainda mais com a pandemia, como sedentarismo, tabagismo, dietas inadequadas, álcool em excesso, pressão alta e diabetes.

Sipriano Ferraz também lembrou que o Pará tem sido um dos quatro Estados com menor número de óbitos por Covid-19 por um milhão de habitantes e que atualmente o número de casos da doença já atinge os patamares mais baixos desde o início da pandemia, também em função dos esforços empreendidos pelo governo estadual em vacinar a população. “O que vivemos agora é o reflexo do esforço que todos já fizemos e que continuaremos a fazer, sempre com metas, entrega de resultados e feedback junto à população. E esse encontro é uma oportunidade de alinharmos ainda mais os discursos internos e resgatar momentos pendentes”, ressaltou.

Na sequência, o Encontro de Gestores da Sespa contou com explanações de perfil mais institucional, como foi o caso das apresentações de Elilma Ferreira, diretora de Desenvolvimento de Redes Assistenciais, e de Andréa Costa, coordenadora da Ouvidoria da Sespa.

Durante a tarde, o diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Denilson Feitosa, abordou o conceito da diretoria, ao detalhar a função dos grupos de vigilância em atuação na Sespa: controle das doenças transmissíveis; das doenças e agravos não- transmissíveis; controle de endemias; vigilância ambiental em saúde, da saúde do trabalhador e a vigilância sanitária.

Na explanação, Denilson falou sobre tópicos relacionados às funções da diretoria, que é de estar atenta à detecção oportuna às mudanças no cenário epidemiológico, em constante articulação com os Municípios, em favor da prevenção e controle de surtos e epidemias.  “São formas de aperfeiçoar as capacidades para preparação e resposta às emergências em Saúde Pública no Pará”, destacou o diretor.

Na sequência, Alessandra Amaral, coordenadora estadual de Saúde Bucal e representante da Sespa na Câmara Técnica do programa Território pela Paz (TerPaz), relembrou o trabalho que a Secretaria de Saúde do Estado vem desempenhando para dar continuidade à política pública implantada nos espaços desde 2019. “Atenção, acolhimento e serviços são oferecidos às comunidades que outrora se encontravam desamparadas pelo poder público. Hoje conseguimos chegar até esses moradores, levando atendimento médico de qualidade, exames, encaminhamentos, cadastros de pessoas com deficiência e entregas de cadeiras de rodas”, disse.

Durante a explanação de Alessandra, o coordenador da Câmara Técnica Intersetorial do TerPaz e da Diretoria da Usinas da Paz, da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), Julio Alejandro Quezada Jélvez, falou aos servidores da Sespa sobre os serviços e projetos das secretarias e fundações participantes do TerPaz que serão oferecidos, em breve, à população nas UsiPaz.

Ainda durante o segundo dia do Encontro de Gestores, a diretora da Escola Técnica do SUS, Elizeth Braga, falou sobre a instituição, cujo objetivo é qualificar profissionais da saúde de nível médio, bem pós-graduados, contemplando, prioritariamente, os trabalhadores do SUS, em consonância com os princípios e as diretrizes da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. “Enquanto instituição formadora, sua relevância para a educação e saúde consiste no fortalecimento das políticas públicas, com estratégias de efetivação de práticas de saúde que reafirmam e expressam a potência do SUS”, informou. Em outubro, a ETSUS será oficialmente reinaugurada, em novas instalações, no bairro do Marco, em Belém.

Temáticas mais institucionais foram abordadas na sequência, como o papel estratégico dos Centros Regionais de Saúde na estrutura organizacional da Sespa, assunto debatido pela psicóloga e Referência Técnica em Planejamento, Rejani Moreira, e o papel do Núcleo de Informação em Saúde e Planejamento (Nisplan), explanada por sua coordenadora, Míriam Kahwage.

 

*Programação*

Na quarta-feira, 29,  ocorre a explanação da Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde (Dpais), Assessoria de Comunicação (Ascom); Coordenação Estadual de Políticas para o Autismo (Cepa); Departamento Estadual de Assistência Farmacêutica (Deaf); Fundo Estadual de Saúde (FES); Assessoria Jurídica (Ajur) e Comissão Permanente de Licitação (CPL).

Na quinta-feira, 30, será a vez da Secretaria Adjunta de Gestão Administrativa (Saga), com Ariel Sampaio; Diretoria Administrativa e Financeira (DAF); Controle Interno; Gerência de Convênios e Contratos e Coordenação de Tecnologia e Informação em Saúde (CTIS).

Na sexta-feira, 01, o dia será reservado para a realização de visitas técnicas de trabalho das equipes dos Centros Regionais de Saúde com as áreas técnicas do Nível Central da Sespa, de agenda previamente acordadas durante o evento.